Diagnóstico de Falhas

Velas de ignição:

Para o diagnóstico de falha da vela de ignição podemos seguir o seguinte roteiro:

– Verifique em qual cilindro ocorre a falha de ignição;

– Troque a vela de cilindro e verifique se a falha mudou de cilindro, se isto não ocorreu é sinal que a falha não é da vela de ignição;

– Com a ajuda de megômetro, verifique a isolação da vela. Isolação baixa pode ser decorrentes de carbonização, encharcamento e trincas no isolador. Neste caso substitua as velas de ignição;

– Para velas convencionais verifique a continuidade da vela, utilizando o megômetro, velas sem continuidade devem ser substituídas.

– Para as velas do tipo resistivas verifique o valor da resistência interna da vela que pode variar de 3 a 7,5 kΩ, para alguns modelos de vela a resistência varia de 1 a 2 KΩ. Velas que apresentarem valor de resistência fora do especificado devem ser substituídas

– Análise visual:

Através de consulta do cartaz de diagnostico de falhas de motor da NGK, verifique a condição de queima das velas de ignição.

– Consulte os vídeos de treinamento:

Vídeo 4 – Tensão requerida, desgaste da vela e manutenção preventiva;
Vídeo 6 – Troca da vela;

Clique na imagem para baixar

 

Cabos de ignição:

Para o diagnóstico de falhas de cabos de ignição podemos seguir o seguinte roteiro:

– Verificar a resistência dos cabos de ignição, os valores de referência você encontra na tabela de aplicação NGK ou através do SAC 0800197112.

– Análise visual:

Inspecione visualmente o cabo de ignição, quanto a danos e falhas de manuseio, consulte o cartaz de diagnóstico de falha de motor da NGK do Brasil.

– Consulte os vídeos de treinamento:

Vídeo 9 – Tipos de cabos e teste do cabo de ignição;
Vídeo 10 – Manuseio do cabo de ignição;

Clique na imagem para baixar

 

Sensor de oxigênio:

Para o diagnóstico de falha de sensores de oxigênio devemos seguir o seguinte roteiro:

– Verifique a resistência do aquecedor do sensor, se o valor de resistência estiver fora do especificado substitua o sensor;

– Verifique a alimentação do sensor, se o valor estiver fora do especificado consulte o manual de reparo do veículo;

– Verifique o sinal gerado pelo sensor de oxigênio e o tempo de resposta do sensor. Nem sempre um sinal fora do especificado indica uma falha de sensor de oxigênio, problemas no sistema de injeção interferem diretamente no sinal gerado pelo sensor de oxigênio.

– Análise visual do sensor de oxigênio:

Inspecione visualmente o sensor de oxigênio quanto a danos e falhas de manuseio. Consulte a tabela de aplicação da NGKNTK.

Inspecione a aparência do tubo protetor, acumulo de fuligem ou sedimentos podem indicar uma condição anormal de queima no motor.

– Consulte o vídeo de treinamento:

Vídeo 15 – Análise do sinal gerado pelo sensor.

Clique na imagem para baixar

 

Navegar no Site